A desabsorção é, com frequência, um termo usado muito amplamente pelos clínicos para incluir a indigestão e a desabsorção. A digestão normal envolve a hidrólise de proteínas, gorduras e carboidratos pelas enzimas pancreáticas na luz do intestino. A digestão da origem a aminoácidos, ácidos graxos e os monoglicerídeos e monossacarídeos. Os ácidos graxos e os monoglicerídeoas são mantidos em solução no meio aquoso pelos sais biliares secretados pelo fígado  na bile. Os produtos da digestão são levados para células epiteliais por meio de transporte ativo no processo chamado absorção. Os ácidos graxos e os monoglicerídeos reúnem-se, formando os triglicerídeos e são transportados pelos linfáticos para a circulação sistêmica. A interferência com o processo em qualquer destes três níveis pode resultar em evidências clínicas de desabsorção/indigestão.

Sinais e sintomas: Os pacientes com desabsorção se apresentam caracteristicamente com perda de peso e diarreia. As fezes apresentam teor de gordura tão elevado que podem ter o aspecto gorduroso, oleoso ou serem difíceis de dar descarga. Pode haver sensação de plenitude, flatulência excessiva e borborigmo. Nos casos muito avançados pode haver síndromes associadas a deficiências nutricionais específicas, como a anemia associada à deficiência de folato ou B12, sangramento pela deficiência  de vitamina K ou doença óssea metabólica causada pela deficiência de vitamina D. No entanto, não é comum, atualmente, que os pacientes se apresentem com estes achados avançados.

Diagnóstico Diferencial: As causas de indigestão compreendem: 1) insuficiência pancreática causada por pancreatite crônica ou câncer de pâncreas. 2) absorção pobre secundária à cirurgia gástrica ou para redução de peso (causando liberação não-regulada do conteúdo do estômago, que ultrapassa o duodeno ou porçōes do jejuno), ou 3) síndrome de Zollinger -Ellison, em que o baixo pH do duodeno inativa as enzimas. A desabsorção é na maioria das vezes decorrente da doença celíaca pela perda da superfície absortiva. No super-crescimento bacteriano, a desabsorção resulta em dano mucoso e na desconjugação dos sais biliares pelas bactérias.